sábado, 27 de junho de 2009

O passo da lua cessa!



Hoje de manhã ouvi uma frase de destino tragicômico. Nela dizia algo assim sobre Michael Jackson: - as duas primeiras palavras em inglês que eu falei. O futuro será um saco.

Na verdade até entendi a frase, pois também li no twitter que ainda não caiu a ficha, pois ouvir o astro não cabe na nossa mente que ele esteja morto.

A verdade é que por ele, se sabe o que é ser uma estrela pop. E talvez seja o mais pleno e completo artista pop, chegando ao patamar de um Elvis Presley, pois este, Michael, viveu muito tempo e poderia contar muitas histórias. Penso de maneira simples: Quando os Jacksons surgiram como uma forma cruel pela tirania do pai, escancaradamente ao conhecimento de todos que queiram saber, os irmãos tiveram a sorte de acompanhar uma fase interessante da música na década de 50 e 60. Ao ouvir uma coletânia dos irmãos, o repertório conta com músicas Doo-wop acapeladas e músicas do cerne de R&B. Por mais que o pai pudesse ser um monstro, pelo menos o gosto dos garotos era requintado e rico em referências.

Viraram sucesso no mundo inteiro, atraindo não apenas as crianças que eram o alvo principal, mas a muita gente que já admirava o som da Motow naqueles anos 60 em diante. Porém, o que mais se destacava, Michael, tomou rumo próprio se tornando um dos melhores cantores do R&B no seu momento de auge, fazendo o que pra mim seja o melhor álbum de sua carreira: “Off the wall” com músicas muito bem produzidas, clipes muito coreografados e bem cabíveis pro estilo de clipes feitos na época do auge da disco music dos anos 70 pra 80. Um senhor álbum de grande notoriedade entre os mais respeitáveis gênios da música da época.

Dali, o caminho para um álbum bem produzido, com praticamente 90% dos hits emplacados não demorou a vir com uma aprovação de crítica e público: Thriller. O álbum entra pra história e dali não sai tão cedo com a tutela de ser o mais vendido no mundo, e naquela época, falávamos de Lp´s.

Deixando o caminho de seus trabalhos, volto para o foco: Michael, produto criado pelos pais, adestrado a entreter o mundo e jamais ter tido tempo para sua infância que floresceu de maneira não compreendida pela mídia. Aqui, faço papel de fã e defensor, pois não creio que ele tenha tido envolvimentos em pedofilia, mas pra quem cria sua própria neverland, com certeza estava ali, pondo seus atrasos em dia.

(Michael Jackson no auge da carreira)

Analisando a história amarga da música mundial, por muito menos, vários astros de musica encerraram suas vidas com suicídios ou overdoses, mas o que temos neste caso, era alguém que carregava sim um fardo maior que pudesse, e mesmo assim, jamais perdeu o controle. Só que alguém que tinha 50 anos, se não pudesse arcar com uma tour de aposentadoria, era como se não estivesse apto a viver ao que foi “treinado” a fazer. Talvez seu corpo tenha respondido o quão não estava preparado.

Sua morte tão temida pelos fãs chegou furtiva, e assustou o mundo deixando mais uma questão sem resposta. Quando se trata de Michael Jackson, tudo que soubemos sempre nascia de especulações e jogadas da mídia, mas continuaremos sem saber o porque este mudou de cor, quis casar, ter filhos e por fim, morrer.
Mas o fato, é que não vai existir tão cedo algum artista que tenha nas costas, a posição de ser um astro pop pleno. Os dias seguintes a sua morte, serão sentidos não apenas pelos fãs, mas se a música fosse uma personalidade, esta estaria abatida e não se recuperaria tão cedo da perda.


(Michael Jackson com 50 anos)

PARA RELEMBRAR TODA A VIDEOGRAFIA CLÁSSICA DO REI DO POP ENTRE AQUI E CONHEÇA O CANAL YOUTUBE ESPECIAL COMEMORATIVO DOS 25 ANOS DE THRILLER



Mensagem do Yuki:
"Michael Jackson foi o cara que conseguiu conquistar duas gerações com músicas e danças muito legais. O Talento dele se traduziu de forma fantástica durante todos os anos de sua carreira. Seus altos e baixos o tornaram a figura inesquecível para a história da música e do mundo. Um ícone que se foi e que ficará em nossa memória, tal como Presley, Lenon, Monroe entre poucos outros. Eis nossa homenagem a um grande mestre da música pop."

2 comentários:

Tomamais disse...

Aproveitando que sou amigo de uma parte da galera, o camarada que se intitula "El Cabrón" sabe por um acaso que isso significa?

Pelo bem da auto-estima dele, espero que não.... hehehe

El Cabrón disse...

Sei sim, mas é coo os amigos me chamam qdo não querm me chamar de "mexicano".
Bem melhor do que maricón ou pentejo! rs!
Sinta-se a vontade pra comentar qdo puder!