sexta-feira, 5 de setembro de 2008

"Hellboy II" mantêm o fôlego com mais monstros e mais ação


Monstros, ação, aventura e mais monstros. Isso é o que traz Hellboy II – O Exército Dourado, que estréia hoje no cinema mais próximo da sua casa. Apesar do pressuposto do filme parecer bem sem graça, de bobo ele só tem a cara. As preces do fãs que gostaram do primeiro filme, de 2004, foram atendidas e o diretor Guilhermo Del Toro conseguiu manter a produção baseada no (anti)herói das histórias de quadrinhos de Mike Mignola.

Comecemos pela história. Após uma breve retomada da história do vermelhão, o filme mostra a história do nascimento do poderoso exército dourado. Esse grupo surgiu como uma arma secreta dos elfos devido ao seu conflito com os humanos. Mas o fato deles serem tão poderosos fez com que a guerra cessasse e fosse selada uma trégua. Esse acordo dura até os dias de hoje.

No Departamento de Pesquisa e Defesa Paranormal, Hellboy (Ron Perlman retornando ao papel) vive ao lado de sua namorada Liz (mais uma vez vivida por Selma Blair). Quem também convive ao lado do lado é o “agente aquático” Abe Sapien e o burocrata e “chefe” da equipe Tom Manning.

Enquanto vivem normalmente, o príncipe Nuada (abaixo) não apóia o acordo entre humanos e elfos e decide juntar as três partes da coroa de ouro que dá o direito a quem lhe usa de comandar o exército título do longa. Para isso, ele precisa enfrentar seu pai e sua irmã gêmea e seguir com seu objetivo de destruir a humanidade.


Na luta contra o revoltado membro da realeza élfica, os heróis terão a ajuda de mais um ser enigmático: Dr. Johann Krauss (primeira foto, primeiro à esq.). O brilhante novo membro da equipe não existe em carne e osso, mas sim na forma de gás ectoplasmático que vive dentro de uma roupa.

Em Hellboy II, o diretor desenvolve ainda mais o personagem, sendo que não há necessidade de haver uma apresentação dele ao público. Com isso, seus conflitos ficam mais evidentes. O vermelhão precisa se situar dentro de uma relação amorosa e conviver com a questão de ser um monstro no mundo dos homens.

Os bons resultados que Del Toro (abaixo, com uma de suas criações) vem tendo nos últimos anos, tendo em vista principalmente o elogiado O Labirinto de Fauno (2006), fizeram com que o diretor ganhasse notoriedade, respeito e, principalmente, dinheiro para fazer seus filmes. Juntar um grande orçamento com um cara que SABE fazer filmes de monstro só poderia dar em uma coisa: uma viagem mágica a um mundo repleto de seres míticos com seriedade total. O importante é dizer que ele não pirou com seu bom momento e continua a fazer bons projetos.


Confesso que fikei na dúvida sobre qual dos dois filmes de Hellboy eu gostei mais, mas o q importa é que nenhum deles decepciona os fãs de quadrinhos, os fãs de cinema e o público em geral.

See You In The Other Side

Um comentário:

Pedro disse...

Se o cara conseguir mandar bem do jeito que conseguiu no primeiro vai ser muito bom!E não dúvido nada que ele consiga!
Estreia esse fds mesmo né!?
A parte dos elfos esta no originall:??

Grande abraço!